Páginas

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

querido diário (diário tem acento?)

       
fada O.O
         eu precisava fazer alguma coisa, elas iam me ver aqui e iam me mandar a fazer massagem naqueles pes fedidos DE NOVO! corri em direcao a minha cama com a intenção de me esconder embaixo dela, mas nao ia dar certo, então, comecei a pular na minha cama, ma agarrei ao lustre no meu teto e fiquei encolhida la dentro, elas entraram e eu acho que me viram porque acenderam a luz e ficaram la paradas, aquilo doia, queimava muito, ate que nao deu mais para aguentar, eu dei um grito agudo e cai na cama
         - patético- falou Anastácia- se esconder num lustre? acho que nao entendeu direito o conceito da expressao vivendo no "lustre"- ela tem essas manias de fazer trocadilhos sem graca para me por pra baixo- mas voltando ao que interessa: o que voce disse mesmo sobre a MINHA presilha de caveira? o que nos ja conversamos mesmo?
          - Quando meu pai morreu voces foram caridosas de me deixarem viver no seu teto e comer sua comida, eu devo todas as minhas coisas a voces
          - perfeito, agora fique aqui e se comporte!
          Sei o que estao pensando: "que??", mas eu tinha que dizer isso! se nao aquela aldeia de rugas ambulante(minha madrasta psicopata) ia me dar outro tapa e me forçar a massagear aqueles pes fedidos delas. Aquelas doidas sairam do meu quarto e me deixaram la com o meu camundongo, a festa ainda seria na sexta, eu tinha tempo... ou era o que eu pensava ate olhar o calendário: QUINTA FEIRA! Eu tinha que encontrar uma roupa! Abri o meu guarda roupas com forca e procurei em tudo, mas nada deu certo! eu so tinha roupa velha, ja que aquelas coisas que eu sou tragicamente obrigada a chamar de irmas adotivas pegaram todas as minhas roupas bonitas, caralho! mas ate que enfim, eu encontrei algo que prestasse, roubando do guarda roupa delas, um vestido preto com varias imagens exóticas ( lindo ), uma meia calca verde neon, um cinto de corrente e um colar grudado no pescoço cheio de tachinhas, combinando com o fabuloso all star de cano alto, escondi isso num lugar que elas jamais tocariam, na caminha que eu fiz para o meu rato! a cama tinha um monte de roupas velhas, então elas nao iriam querer tocar, ainda mais se um rato passou por ali.
              finalmente sexta-feira, depois daquelas lerdas sairem, eu ponho a roupa e saio pela janela, sai correndo ate a festa e elas nem me viram, ou era o que eu pensava, elas estavam no quintal, prestes a sair e me viram
                - o meu vestido!!
               berrou Grisella, so para constar: esse vestido sempre foi meu (que nome ridiculo, Grisella, lembra um pouco a palavra Grill), elas rasgaram a minha roupa toda, pegaram o all star e o colar tambem e ainda me empurraram na fonte!!, aquela madrasta maluca riu a bessa!! eu mato ela, eu corri para o quintal dos fundos , tipo semi nua!( que bom que ninguem ve o que tem la atras )e fiz a coisa mais ridicula que uma pessoa pode fazer numa hora dessas: chorei! QUE? HAM? COMO? EU? CHORANDO??????????? era a coisa mais rara do mundo mas elas conseguiram, eu chorei! Olhei para um lado e vi a flor que meu pai vinha cultivando a 15 anos e teria continuado se estivesse vivo (aquela vaca so n vai presa porque eu nao tenho provas ainda), mas a flor continuava um exemplar perfeito! eu vesti o roupao velho do meu pai e fui ate a fonte pegar um pouco de agua, joguei na planta e quendo  menos esperava: poof! apareceu uma garota de cabelo roxo, umas roupas legais e uma varinha
                  -oooooooooooooi!- falou
                  - quem eh voce?????????????????????????????????????????????????
                  - o geniooooow! eu sou sua fada madrinha! DUH!



                     continua...










        quantas palavras os cachorros entendem??


Quando as crianças aprendem a linguagem, elas começam associando sons aobjetos ou a idéias. Por exemplo, se uma criança ouve a palavra “garrafa”toda vez que lhe dão uma garrafa, ela vai acabar aprendendo a conectar o som da palavra ao objeto. Dessa forma, as crianças entendem as palavrasantes de aprender a expressá-las. Alguém poderia dizer que o mesmo acontece com os cães. Os cães só não chegam ao próximo passo: falar. Porém, comparar ou não a “compreensão” que um cão tem de uma palavra à compreensão de uma criança é outra história. Continue reading ‘Quantas Palavras os Cachorros Entendem?’








          por que os sinais de "pare" sao vermelhos??


Você já parou para pensar por que os semáforos, luzes de freio, luzes nas asas dos aviões que indicam para onde ele irá virar quando em solo e vários outros sinalizadores de “pare” são feitos na cor vermelha? Certamente o fato da universalização do significado é uma boa desculpa. Porém, há um outro bom motivo. Cada cor de luz possui um raio de tamanho diferente, ou seja, algumas atingem maior distância antes de se dispersarem e ficarem invisíveis do que outras. A cor vermelha é a que possui um raio maior, podendo ser vista de grande distância e dando possibilidade aos motoristas de parar mais rápido.






















                                               engracado







FOOFOFOOGOFOFOOFOFOFOFOFOFOFOFOFOFOFOFOFOFOFOFOFOFOFO!!!!





                    agua na lua







Existe água gelada em grandes quantidades no pólo sul da Lua, confirma a NASA. A agência espacial norte-americana analisou os últimos dados da missão que levou o satélite LCROSS a despenhar-se a grande velocidade na grande cratera Cabeus, no dia 9 de Outubro.
Esta depressão localizada no pólo sul da Lua está permanentemente na sombra, numa região onde a temperatura nunca sobe acima dos 170 graus negativos. O violento impacto do LCROSS na Cabeus provocou um jato de vapor de 1,6 km de altura equivalente a mais de cem litros de água.
Antes de deixarem de funcionar, os sensores da nave (espectrómetros de infravermelhos e ultravioletas) detectaram vapor de água e gelo. “Não encontramos apenas um pouco de água mas uma quantidade significativa”, afirmou Anthony Colaprete, cientista chefe desta missão. Continue reading ‘Agua Na Lua’


                                              abducoes reais!

Durante os últimos 50 anos de ufologia, muitos acontecimentos curiosos e complexos vieram à tona, quebrando a cabeça dos pesquisadores e trazendo traumas às pessoas que participaram do evento. Dentre estes assuntos, um tem chamado mais a atenção dos ufólogos: A abdução, que ficou famosa pelas pesquisas realizadas pelo Sr. Budd Hopkins e pelo livro e depois filme "Intruders". Sem dúvida, a abdução é um dos acontecimentos mais enigmáticos da ufologia moderna.
Os pesquisadores que já tiveram a oportunidade de estudar estes casos, sabem o quanto este assunto é complexo, traumático e indecifrável. A abdução consiste na remoção forçada de uma pessoa de um determinado lugar, sendo supostamente levado para o interior de uma nave onde é submetido a algumas experiências traumáticas e, quase sempre, reaparecendo em outro lugar completamente diferente e distante da posição original. A pessoa normalmente permanece em um estado alterado de consciência de forma a não perceber o que esteja acontecendo (muitos abduzidos confirmam que talvez este estado tenha a finalidade de "protegê-los" de traumas futuros). As experiências podem ser de cunho laboratorial (médico/físico ou psicológico) ou apenas de cunho psicológico (contato com os não "greys"). Geralmente, as pessoas possuem pouco ou nenhuma memória sobre o ocorrido, permanecendo apenas um lapso de tempo em sua memória.
A melhor, e talvez a única, forma de conhecer a matéria é se envolvendo com ela. Somente conversando com possíveis abduzidos é que se pode ter a real noção da dimensão deste acontecimento e comprovar que a abdução é muito mais traumática do que se tem alertado. O que se vê são pessoas procurando desesperadamente por ajuda, pois por melhor que sejam os trabalhos realizados pelos ufólogos, apenas as conseqüências tem sido amenizadas, mas a causa ainda é uma incógnita.

Fonte:
http://sigma.br.tripod.com/abducao.htm

                   hora da morte!

A dra. Louisa Rhine, pesquisadora do laboratório de parapsicologia da universidade de Duke, estudou vários casos de relógios que pararam de funcionar no momento da morte do seu dono. Num desses casos, um morador do Canadá relatou à dra. Rhine o que ocorreu em sua família; quando à morte do irmão de sua cunhada.
Quando o doente terminal morreu, às 6:24, ele telefonou para a família e para o médico, e em seguida preparou algo para que os visitantes pudessem comer. Além disso, era necessário ficar observando o relógio, porque a agência funerária chegaria às 9:30. Durante o café, um dos visitantes peguntou as horas, a cunhada do depoente consultou um relógio de bolso que lhe foi dado pelo seu irmão falecido; ao ver as horas, ela teve uma terrível surpresa: o relógio marcava exatamente a hora e os minutos em que seu irmão morrera.



Para ter certeza de que aquilo não era uma estranha conhecidência, ela pediu ao seu outro irmão que desse corda, para saber se ele parara por falta desta. O relógio ainda tinha três quartos de corda.




                   encontrada atlantida!
Uma "rede de ruas" no fundo do mar, que é apontada como uma das possíveis localizações da civilização perdida da Atlântida, agora pode ser vista por meio do Google Ocean - uma extensão do Google Earth que permite com que os usuários explorem o oceano virtualmente.
O retângulo perfeito, que é praticamente do tamanho do País de Gales, foi observado por um engenheiro aeronáutico durante uma exploração submarina e foi descrito por ele como o "mapa aéreo" de uma cidade.
Localizada perto das ilhas Canárias, a "rede de ruas" pode ser encontrada no Atlântico nas coordenadas 31º15'15,53"N, 24º15'30,53"O ( 31.2647 -24.5147 ).
Alvo do imaginário das pessoas há seculos, o mundo lendário da Atlântida foi descrito pelo filósofo grego Platão como uma ilha "maior do que a Líbia e a Ásia juntas".
Terra cheia de riquezas e beleza natural, ele teria sido habitada por uma civilização muito avançada para sua época. No entanto, foi destruída por terremotos e inundações há 9.000 anos, quando teria afundado em pleno Oceano Atlântico. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário